Tuesday, June 27, 2006

A Batalha

Os olhos de Vinny mal podiam acreditar ao verem aquele homem franzino que ria tal qual um insano ria de uma piada mórbida, se dobrando para frente enquanto sua risada ficava cada vez mais gutural. As unhas cresciam de forma rápida e o homem as cravava nas próprias costelas, rasgando a pele e deixando não o sangue, mas um líquido sulfúrico jorrar daqueles ferimentos. O Show tinha iniciado e o inocente Vinny teria seus pesadelos assombrados pelo resto de sua vida depois deste maldito dia.
- TOOLOOO!!!!
A pele do homem franzino se rasgava em vários pedaços, enquanto o corpo ganhava uma forma grotesca e não mais humana que parecia estar contida dentro daquela pele. O Corpo negro daquele demônio avançava em direção ao inocente Vinny, que achava que aquele ser era apenas um humano degenerado, mas seu avançar foi interrompido assim que me coloquei entre a vítima e o demônio.
- SAAAIIIIAAAA LUUUPIIIN!!!!
A voz gutural da criatura, vinha com os milhares de gritos de pedido de ajuda das vítimas que tiveram suas almas arrancadas por aquela cria do Inferno.
- MALDITO!!!
Vinny podia me ver avançando contra aquela criatura com a espada em riste, onde o choque entre as garras e minha lâmina causava faíscas. Estava paralisado de medo e eu não esperava menos do que isso. Muitas vezes Vinny pode ver as garras ou os dentes afiados daquela criatura passando próximos ao meu corpo. Muitas vezes ele pode ver aquela lâmina estranha, cheia de grifos, acertar o corpo da criatura e causar um simples arranhão ao invés de um corte profundo. Vinny podia me ouvir proferindo palavras que ele jamais compreenderia, pois tais palavras já tinham deixado de existir ou jamais foram permitidas aos mortais de serem ouvidas. O demônio proferia naquela mesma língua coisas que apenas eu compreenderia. Coisas sobre as almas terem sido condenadas ao Inferno devido a minha condição de vida. Devido a minha existência. Quanto mais ele ria e jogava a verdade em minha cara, maior era o meu desejo de bani-lo para sempre. Eu já não me preocupava mais em esconder a realidade dos olhos de Vinny, proferia palavras contra a criatura e seu sangue que corroia algumas partes do chão soltando aquela fumaça asfixiante entrava em combustão aparentemente espontânea. Mas só pareceria espontâneo para aqueles que não queriam enxergar a realidade, ao que elas entravam em combustão assim que eu acabava de proferir as palavras.
- ALICE... SAIA DAÍ... ESSE LOCAL VAI EXPLODIR!!!
Vinny finalmente saía de seu estado catatônico ao ver o local inteiro começando a pega fogo. A sala das caldeiras tinha se transformado no verdadeiro Inferno e neste Inferno, estávamos apenas eu, o Vinny e o demônio. O demônio ria com tudo aquilo e continuava tentando avançar para matar mais uma pessoa que estava ligada a minha pessoa. A cada palavra minha entoada, mais o fogo parecia aumentar, dificultando desta forma a aproximação do demônio até o inocente rapaz que buscava uma forma de me tirar dali também. Ao parar perto demais de uma das labaredas o demônio conseguiu me atingir, me fazendo voar e bater com as costas em uma das caldeiras. A dor lacerante, que aquele ferimento que tinha sido aberto, estava pior pelo fato do líquido sulfúrico que ele expelia ter se unido com o rasgar de minha pele. Estranhamente todo aquele fogo que se mantinha sustentado sumiu como se o oxigênio tivesse deixado de existir. Nada mais impediria o monstro que agora avançava em passos pesados contra o rapaz. Não sei de onde Vinny sacou uma arma, talvez em meio a confusão eu não tenha o visto pegando a arma de um dos agentes mortos. Apenas voltei a realidade do que acontecia com os disparos e a gargalhada do demônio que não se feriu com aquelas patéticas balas. Vinny estava com o olhar assombrado, largava a arma ao chão já esperando sua morte. Não havia mais esperança em sua alma.

1 comment:

Nerito said...

É uma história intrigante... Qual ligação tem Vinny com Alice? E das vítimas assassinadas pelo demônio com a moça? Estou curioso... Apesar de certas regras ainda não estarem de todo claras para mim. Mas aguardo o desenrolar dessa trama.