Thursday, December 22, 2011

Post Mortem - V


Mais uma vez meu corpo ergueu...
Meus olhos varriam o local, pois havia sangue, mas não havia corpos.
Corpos? Sim! A quantidade de sangue não me indicava isso, mas o aroma diferenciado de sangues misturados.
Um casal, nada mais que um casal assombrado por natais passados. Havia medo naquele sangue; naquelas paredes; naqueles cacos espalhados...
Havia implorares e recitares... Havia tempo que eu não escutava aquele tipo de recitar, aqueles símbolos que foram desenhados ao chão...
Mais alguns passos e o frisson aumentava com a identificação de mais duas vítimas, mas estas não estavam mortas... Parecia-me que elas estavam desaparecidas...
Outro casal... Um tanto quanto mais jovens... Mas há algo diferente nesse quadro, apesar de achá-lo semelhante com algo...
No quadro inicial havia raiva... Não! Na verdade era a famosa ira descontrolada...
Ira... Medo... Tranquilidade...
“– Foram seus olhos...” – murmuro baixo, arrepiando-me por completo.
Lembranças perdidas que se mesclavam com a visão... Não! Elas se mesclavam com o sabor que não saía de meus lábios.
Mais uma vez as imagens pareciam dissolver. Ou assim tentavam, mas não conseguiam...
Aquele símbolo ao chão murmurava mais coisas que me mantiveram o observando, dando atenção ao que ele cantava... Declamava...
Havia respeito... Algo mais...
Mais alguns passos foram dados, pois não me interessava às almas dos que não partiram, mesmo sendo almas de infantes...
“– O que estou pensando?” – o mesmo murmurar. Quase sem emoção, quase sem vida.
O dia corria, assim como correu o dia anterior...
Algo iria acontecer...
Nesse local...
Nessa casa...

1 comment:

Nerito said...

Certo... O casal que morre... são os pais da Alice? Essas são memórias dela? Fiquei um pouco confuso agora... Estou de volta. Minha ausência foi explicada. Espero poder compensá-la. Abraço!